terça-feira, dezembro 31, 2013

Dois mil e treze

Antes de começar, uma musiquinha



Pronto. 2013 começou ótimo pra mim, saí de férias logo na primeira semana de janeiro e, mesmo não indo para nenhum cruzeiro ou ter ido tirar foto em frente a um monumento gigante, foi bem legal. Mentira, tirei foto do Bernardão em Fronteira. A festa de 1 ano do meu sobrinho foi muito legal e, melhor que isso, esse ano, nasceu a minha princesa, Júlia, minha sobrinha.
Vi de perto, bem de perto, todos os protestos na Paulista. Vi a história passar e também fiz parte dela.

Esse ano foi tão bom pra mim que até quando tudo parecia que tinha dado errado, foi o indício que tudo começaria a dar certo de novo. Me (re)encontrei quando parecia que tudo estaria perdido. A vida é realmente impressionante, não? Pensei muito em tudo isso, quem eu era, quem eu fui, quem eu serei.

Foi legal, fiz várias reflexões. Umas boas, outras nem tanto. Mas, e daí?
Decidi cuidar da saúde e, porque não, da aparência. Quase sobrou pro médico. 

Ah, como esquecer do Palmeiras na Série B? Fui a 19 jogos esse ano, sofri bastante, mas me diverti muito. Quase arrumei briga por causa de um craque incompreendido.

Me emocionei muito. No aeroporto, vendo filmes ou, simplesmente, sendo tio ou filho
Falei a verdade e teve gente que não gostou. Mas a vida é assim mesmo.
Renasci pra vida e esse foi o principal dia do ano. 
Depois desse dia, nunca mais fui o mesmo. Ainda bem! Graças a esse dia, me enchi de esperança.
Engraçado, de repente, tudo passou a fazer sentido.
Pra fechar o ano, fui herói por um dia e tive o melhor aniversário de todos os tempos.
Enfim, 2013 foi o melhor ano da minha vida, mesmo. A melhor parte dele é que tudo que eu planejei não aconteceu. Estranho né? Nem tanto. Foi muito melhor que eu imaginava. Fui muito feliz com minha família, meus amigos, meu trabalho e, no final do ano, ganhei um bônus por bom comportamento: uma namorada incrível com uma família espetacular, que me trata como um filho. 
Foda né?
Complicado falar se eu mereço tudo isso ou não. Ele é quem sabe. Mas esse ano eu dei o meu melhor, mesmo.
A única promessa de ano novo que eu faço é tentar ser um cara ainda mais legal com todo mundo. Sorrir sempre, pois como eu sempre digo, os problemas estão aí, independente de você chorar ou sorrir. Então sorria, você fica mais bonitinho.
Como disse à minha tia Meire. Esse ano eu descobri que Deus gosta mesmo de mim.
Feliz ano novo a todos que perdem um tempinho lendo este blog, que nada mais é que um espaço onde eu escrevo tudo o que acontece de bom ou de ruim na minha vida, pra que no final do ano eu faça uma retrospectiva assim, enquanto eu ouço os vizinhos soltando fogos e queimando o tender no último dia do ano.
Good Vibrations, pessoal!
Até 2014!



Nenhum comentário: